09 julho 2007

O Segredo

Fonte: haryhanne.blogs.sapo.pt


Ontem vi o filme "O Segredo". Na verdade, não há nada de segredo na lei da atração. O que pensamos atraimos para nossa vida. Geralmente a nossa tendência é pensar nas coisas que não queremos e sem querer acabamos por atraí-las pra nós. Temos focar nosso pensamento naquilo que queremos, mentalizar nossos desejos e consequentemente as coisas boas começam a acontecer. Ao orar, agradecer ao invés de pedir, porque assim nos damos conta do quanto temos de bom em nossa vida. A alegria, a felicidade são os melhores antídotos para espantar a depressão , fortificar a auto-confiança. Determinar-se a fazer uma coisa de cada vez, aprender a dizer não àquilo que nos tira do nosso foco do momento, valorizar os momentos de encontro consigo mesmo, não achando que é perda tempo fazer nada de vez em quando. Providências que me determino a tomar para dar um jeito de melhorar alguns aspectos da minha vida. E deixo registrado aqui no meu diário pessoal para não esquecer.

4 comentários:

Alberto Valença disse...

Minha querida Marli,
Que prazer foi visitar mais esse blog seu! Causa-me muita satisfação descobrir pessoas como você. Que apreciam boa música, belas poesias, têm um jeito especial de encarar a vida, de perceber seus detalhes, de encontrar belezas...
De muito bom gosto tudo que aqui encontrei.
Quero apenas lhe sugerir uma correção mas, para não deixá-la aqui registrada, vou enviar-lhe por e-mail particularmente.
Fico feliz também, por você concordar com o segredo.
Grande abraço.
Alberto Valença.

Alberto Valença disse...

Marli, infelizmente vou ter que deixar aqui mesmo o ponto a ser corrigido como colaboração.
Não entenda como crítica por favor!
Como não descobri seu e-mail, vou escrever aqui mesmo. Depois que você ler isso, pode apagar.
Trata-se de pores-de-sol. Esta é a forma correta.
Queria também lhe sugerir uma visita ao site do Portal Skola onde está acontecendo um seminário sobre tecnologias educacionais.
O endereço é http://www.skola.com.br/

Abraços.
Alberto Valença.

Marli disse...

Oi Alberto!
Obviamente que não vou apagar.Fico agradecida. Não ocstumo errar, mas essa foi uma distração minha, imperdoável aliás, para uma professora de português.Você contribuiu para que eu nunca mais esqueça dessa. É uma questão lógica, pois sol existe apenas um, mas ele se põe muitas vezes. Valeu mesmo!Preciso retomar o meu baú. Estou com saudade de postar aqui, mas o meu tempo tem sido contado por causa da finalização de minha especialização. Logo vou usar com mais freqüência esse meu cantinho adorado.BJ

Wandecy disse...

Uma poesia para os amigos:

Urubu filósofo

Encontrei no meu caminho uma lata,
Desgarrada de sua mãe, dona sucata,
Enferrujada, moribunda, abandonada,
Quase pronta para ser mumificada.
Um ser-nada para si, algo pra mim,
Um metal em corrosão chegando ao fim.
Concluí refletindo esse declínio
Que o ferro é inferior ao alumínio.
Essa lata está sofrendo um processo,
Obedecendo as rígidas leis do Universo.
É admirável toda essa transformação,
Como o tempo é cruel em sua ação.
E uma lata que outrora era tão forte
Agoniza sob o sol até a morte.
A humanidade cada vez mais insensata
Não consegue ver nobreza numa lata
Que ali estática mostra que a letargia
Aciona um movimento, uma fenomenologia,
Onde a inércia pressupõe uma essência abstrata
E o cosmo se conecta inteiramente com a lata.

Do livro "Puezya"